No dia 19 de fevereiro, os servidores foram à Câmara Municipal acompanhar a votação de um projeto de lei da prefeita Laís Nunes que reduzia o salário de 362 docentes pela metade, com o corte da carga horária. Foram reprimidos com jatos de spray e balas de borracha pela Polícia Militar do Ceará e pela Guarda Municipal.